Skip to main content

Caso o prezado leitor tenha alcançado este ponto, presume-se que seu computador contém a distribuição pré-instalada do Policorp Linux OEM. O mencionado sistema operacional foi elaborado para garantir uma operação otimizada, adaptada às características técnicas específicas do dispositivo em questão. Por conseguinte, todos os dispositivos integrados ao computador foram submetidos a um rigoroso processo de homologação e testagem, a fim de atestar total compatibilidade e eficiência.
Para o êxito do uso do sistema, recomendamos que se proceda à leitura do Guia do Usuário, acessível através da aplicação inicial denominada Bem-vindo(a) ao Sistema ou via menu Ferramentas de Sistema->Guia do Usuário.
O guia oferece informações importantes como a alteração e cadastramento de novos usuários e senhas, além de outros tópicos relevantes, incluindo a gravação de imagens de recuperação e a utilização adequada do sistema operacional.

Qual é o ponto de partida recomendado para se familiarizar com a utilização do sistema Policorp Linux OEM?

Caso o seu computador possua o sistema operacional  Policorp Linux OEM  pré-instalado, é importante notar que esse sistema foi desenvolvido para operar com as características originais de fábrica do seu dispositivo. 

Desse modo, todos os dispositivos presentes no computador foram submetidos a testes e homologações, garantindo a total compatibilidade e funcionalidade do sistema. Antes de iniciar o uso do sistema, recomendamos a leitura do Guia do Usuário, que pode ser encontrado na aplicação inicial de "Bem-vindo(a) ao sistema" ou através do menu "Ferramentas de Sistema" -> "Guia do Usuário". No Guia do Usuário, você encontrará informações importantes sobre senhas, cadastramento e alteração de usuários, além de orientações acerca da gravação de imagens de recuperação e uso do sistema.

Aplicação de Bem-vindo(a)

Para quaisquer outras dúvidas ou sugestões, por favor, entre em contato conosco pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

O que é uma distribuição LInux?

De acordo com a Wikipédia, uma distribuição Linux é um sistema operacional criado a partir de uma coleção de software, com o uso do núcleo Linux, um sistema gestor de pacotes, e um repositório de programas. Ou seja, é o sistema operacional do seu computador. E é a partir do sistema operacional você poderá utilizar todos os recursos que ele tem a oferecer como gerenciar arquivos, acesso a internet, executar aplicações, etc.

O sistema operacional Linux apresenta os recursos necessários para atender às minhas demandas operacionais?

Principais Aplicações
O sistema Linux oferece uma ampla variedade de programas para uso diário. Segue uma lista dos principais aplicativos:

  Firefox
• Firefox: Navegador de internet, altamente seguro, atualizado constantemente, e que se destaca pelo desempenho e baixo consumo de memória.

  VLC
• VLC: Reprodutor de vídeo capaz de executar arquivos em diversos formatos, além de recursos avançados como embutir legendas, fazer streaming, entre outros.

  Gimp
• GIMP: Editor de imagens semelhante ao Photoshop pago, que permite uma ampla gama de edições em arquivos de imagem. 

https://policorp.com.br/images/firefox-icon.png  Rhytmbox
• Rhythmbox: Player de música capaz de gerenciar bibliotecas inteiras de MP3 e transmitir rádios online.

   Calc
• Calc: Planilha eletrônica profissional com muitos recursos para elaboração de cálculos, tabelas e gráficos demonstrativos.

  Writer
• Writer: Editor de texto poderoso com centenas de recursos para elaboração e edição de documentos de texto.

 Thunderbird
• Thunderbird: Software cliente de e-mails amplamente utilizado no Linux, com funções como agenda, catálogo de endereços, filtros de busca, dentre outros.  Funcionalidades - ThunderBird 

  Skype
• Skype: Software para comunicação via Internet por meio de voz e vídeo, compatível com as principais distribuições Linux.

Qual é o procedimento para reconfigurar a senha do administrador (Root)?

Para reconfigurar a senha do administrador (root) do seu sistema, existem duas maneiras disponíveis:

1 - A primeira maneira é configurando a senha do Root ao inicializar o sistema. A tela de boas-vindas será exibida até que a senha do Root seja definida e a opção . “Lembrar mais tarde” seja desmarcada

2 - A segunda maneira é removendo o arquivo de configuração inicial. Para fazer isso, abra um terminal (console) e execute o seguinte comando:

sudo rm -f /home/usuario/.config/oem-welcome-done

Será exibida a tela para alteração da senha, caso isso não aconteça, execute o comando abaixo:

sudo rm -f /opt/.oem-welcome-done

O comando acima solicitará a senha do usuário. A aplicação de boas-vindas é exibida apenas na primeira inicialização. Removendo o arquivo mencionado acima, a aplicação será exibida novamente.

Quais são os passos a serem seguidos para a gravação e instalação da imagem ISO em uma mídia externa?

Para gravar e instalar a Matriz (ISO) em uma mídia externa, recomendamos o uso de um pendrive com capacidade mínima de 4GB.

No Windows

No Windows, é possível utilizar o aplicativo Rufus,

uma ferramenta que ajuda a formatar e criar flash drives USB bootáveis.

O Rufus será especialmente útil em casos onde é necessário criar uma mídia de instalação USB a partir de ISOs bootáveis (Windows, Linux, UEFI, etc.). Para mais informações e download, acesse o site https://rufus.akeo.ie/.

No Linux

Já no Linux, é necessário utilizar o comando DD como root, substituindo o "nome-da-iso" pelo nome (ID) da matriz que deseja gravar e "/dev/pendrive" pelo dispositivo em que o seu pendrive foi detectado. Exemplo do comando DD:

dd if=nome-da-iso of=/dev/pendrive bs=8M

Para verificar qual foi o dispositivo do pendrive detectado, execute "dmesg" e procure por linhas no final "/dev/sdb" ou "/dev/sdc".

O processo de gravação do pendrive leva, em média, entre 5 e 8 minutos, dependendo do tamanho da ISO.

Cuidado!

É importante ter cuidado ao executar o comando DD, pois, caso seja informado o dispositivo de destino errado, poderá apagar todos os seus dados.

Após a gravação da matriz no pendrive, basta inicializar o equipamento pelo pendrive e seguir os passos para a instalação.

Como realizar a configuração do sistema Dual Boot em um dispositivo?

A Policorp realizou testes em seu laboratório e conseguiu instalar e configurar um sistema operacional Windows 10 em paralelo com sua matriz de OEM Linux, sem prejudicar o funcionamento de ambos os sistemas.

Para realizar esse procedimento, é necessário seguir as seguintes instruções:

1 - Instale a matriz de OEM antes do Windows.

2 - Execute um sistema operacional em modo live usando uma mídia externa, como a distribuição do Ubuntu, para editar as partições.

3 - Após entrar no sistema, abra o terminal para redimensionar a partição com mais espaço (partição /dev/sd5) e criar uma partição para a instalação do Windows. 

4 - Insira a mídia com o Windows e prossiga com a instalação na partição separada.

* Para selecionar o sistema operacional, entre nas configurações de boot da sua máquina e insira o sistema operacional desejado em primeiro lugar.

* Você também pode pressionar F11 na inicialização do sistema para escolher o boot desejado.

* É importante notar que a restauração do sistema irá apagar as alterações realizadas no disco e remover a instalação do Windows.  

Atenção:

A Policorp não se responsabiliza por eventuais problemas que ocorram durante o processo e recomenda que backups sejam mantidos antes e depois dos procedimentos.

Qual é o método apropriado para executar a recuperação do sistema em modo de emergência?

Para recuperar a senha do Root em seu sistema, é necessário seguir o seguinte procedimento:

1 - Reinicie a máquina e acesse o modo de recuperação via F7.

2 - Aguarde até chegar à tela que pergunta se deseja formatar o disco e verifique se o disco é /dev/sda.

3 - Pressione as teclas Crtl + Alt + F2, para entrar no modo console, onde será solicitado que pressione Enter.

4 - Digite o comando fsck.ext4 -f /dev/sda2 e pressione y para todas as perguntas. fsck.ext4 -f /dev/sda2

5 - Digite o comando fsck.ext4 -p /dev/sda2 e pressione y para todas as perguntas: fsck.ext4 -p /dev/sda2

6 - Digite o comando fsck.ext4 -f /dev/sda5 e confirme com y todas as perguntas: fsck.ext4 -f /dev/sda5

7 - Digite o comando fsck.ext4 -p /dev/sda5 e confirme com y todas as perguntas: fsck.ext4 -p /dev/sda5

8 - Digite reboot e aguarde a máquina reinicializar.
Observa-se que esse procedimento deve ser realizado com cautela, visto que a Policorp não se responsabiliza por quaisquer danos que possam surgir.

Por que a versão do Firefox que estou utilizando é incompatível com o serviço Netflix e como posso solucionar esse problema?

Quando se tenta assistir ao Netflix, pode-se receber a mensagem de erro indicando que o navegador não é mais compatível com o serviço.

Isso ocorre porque a Netflix atualizou a sua API e ela funciona apenas nas versões mais recentes do Firefox.
Para solucionar essa questão, é preciso acessar o terminal e executar os seguintes comandos:

1 - Logue como root e insira a senha:

sudo su

2 - Execute o comando abaixo para garantir que o apt-get está funcional:
apt-get --fix-broken install


3 - Em seguida, instale o pacote abaixo do Firefox:
apt-get install firefox-esr

Esses passos devem solucionar o problema de incompatibilidade entre o Firefox e o Netflix.

Como proceder para efetuar a instalação do navegador Google Chrome?

Segue abaixo o passo a passo para a instalação do navegador Google Chrome:  

1. Abra o navegador Firefox e acesse o endereço google.com/chrome.

Policorp Chrome
2. Clique no botão "Fazer o download do Google Chrome".

3. Certifique-se de que a opção "64 bits .deb" esteja selecionada.

4. Clique em "Aceitar e instalar".

Policorp Chrome

5. Marque a opção "Abrir com o:" e selecione "Chrome".

Chrome
6. Clique em "OK". Uma janela para confirmar a instalação irá aparecer, basta confirmar para concluir o processo.

Como posso instalar uma impressora no Policorp Linux?

Para configurar sua impressora no Policorp Linux, siga estas etapas simples:

  1. Verifique a Conexão: Certifique-se de que sua impressora esteja conectada e ligada ao computador. Se estiver usando uma conexão USB, confirme se o cabo está corretamente conectado.

  2. Acesso ao Menu de Impressão: No ambiente do Policorp Linux, vá para o "Menu Iniciar" e pesquise por "Impressora". Clique na opção "Configurações de Impressão".

  3. Adicione a Impressora: Dentro das configurações de impressão, clique em "Adicionar". Selecione o modelo da sua impressora e escolha o tipo de conexão adequado. Por exemplo, se estiver utilizando uma conexão USB, selecione essa opção. Em seguida, clique em "Avançar".

  4. Instalação do Driver: O sistema exibirá o driver da impressora correspondente ao modelo selecionado. Verifique se é o driver correto e clique em "Aplicar" para configurar a impressora.

  5. Teste de Impressão: Após a configuração, é recomendável imprimir uma página de teste para garantir que a instalação tenha sido bem-sucedida e que a impressora esteja funcionando corretamente.

Como o Policorp Linux gerencia vulnerabilidades em bibliotecas de terceiros?

No Policorp Linux, levamos a segurança dos sistemas a sério e entendemos que vulnerabilidades em bibliotecas de terceiros podem representar riscos significativos. Para mitigar esses riscos, implementamos várias medidas proativas:


Monitoramento Contínuo: Mantemos um monitoramento constante das bibliotecas de terceiros utilizadas em nosso sistema, verificando regularmente anúncios de segurança e atualizações de segurança relacionadas.


Atualizações e Patches: Quando uma vulnerabilidade é identificada, nossa equipe avalia a severidade e aplica patches ou atualizações conforme necessário de forma ágil.


Comunicação: Disponibilizamos e mantemos nossos usuários informados sobre atualizações e correções de segurança, para que mantenham seus sistemas atualizados para garantir que estão protegidos contra vulnerabilidades conhecidas.

A vulnerabilidade da biblioteca XZ Utils afeta o Policorp Linux?

Recentemente foram identificadas vulnerabilidade graves na biblioteca XZ Utils nas versões 5.6.0 e 5.6.1. Essas versões são utilizadas nas versões testing e instáveis do Debiian. A versão Policorp Linux utiliza como base somente a versão estável do Debian, sendo assim, essa vulnerabilidade não afeta a versão Policorp Linux.

O Policorp Linux OEM 11 usa xz-utils 5.2.5-2.1 e o Policorp Linux OEM 12 usa xz-utils 5.4.1-0.2.


Explore o Policorp Linux acessando os vídeos demonstrativos!

Clique aqui e acesse a Playlist completa.

Ficou com alguma outra dúvida?

Fale Conosco